domingo, 29 de janeiro de 2012

A Morte de Chaves


Chaves é uma comédia mexicana que ganhou uma incrível popularidade nos países americanos de língua espanhola, e também na Espanha, no Brasil e nos Estados Unidos. A série mostra as aventuras de Chaves - um órfão, interpretado pelo criador do programa, Roberto Gómez Bolaños, e os outros moradores da vila em que vive.

A lenda:

"Você já viu aquele episódio em que o Chaves finge que foi atingido por um carro? Na época em que a TV Mexicana transmitia episódios inéditos da série, depois que esse episódio passou ocorreu uma pausa e a série só voltou 4 meses depois. Mas o que aconteceu durante esses 4 meses? Bolãnos aparentemente havia filmado o que deveria ser o episódio final de Chaves, e ele era mais ou menos como esse episódio supracitado.

O capítulo começa com a introdução característica da série, mas o som está antiquado. Quando a vila aparece, não tem ninguém no pátio. O portão se abre como se alguém fosse entrar, mas ninguém entra. E o episódio continua nisso por dois ou três minutos, apenas mostrando a vila vazia e o portão aberto até que finalmente Chaves aparece saindo da vila e caminhando pela rua.

Nesse momento, aparecem Kiko e Chiquinha na vila. Kiko pergunta então para Chiquinha aonde é que está o Chaves (O ator Carlos Villagrán, que interpreta Quico, faz essa cena usando a voz típica do personagem, entretanto as suas bochechas não estão "inchadas" como deveriam). Chiquinha responde que ele está na rua brincando com catchup. No momento exato que ela diz "na rua", ouve-se um rugido horrível que não aparece em mais nenhum outro episódio da série.

Após isso, aparece a cena do episódio que foi transmitido na TV e que provavelmente você conhece (a cena em que o Chaves finge estar morto cheio de Catchup) em que aparecem todos os moradores da vila chorando. O som é muito antiquado e os soluços parecem estar vindo de muito mais pessoas do que só aquelas que aparecem na cena. Nesse momento a cena é cortada para o que parece ser uma parada para os comerciais.

Então acontece uma mudança para outro cenário, com Dona Florinda, Seu Madruga, Professor Girafales, Kiko e Chiquinha em frente de um fundo preto. Na frente deles parece haver um caixão com o corpo do Chaves mas não dá pra enxergá-lo. Os 5 personagens parecem estar totalmente devastados. Dona Florinda parece muito magra, e quando parece que ela está apenas atuando, a feição devastada dela é realçada quando a câmera foca a sua face por cerca de longos 5 a 10 minutos. Depois dessa cena incrivelmente longa, Kiko e Chiquinha dizem "Chavinho" em vozes de coração partido, de tristeza total. Quico não estava falando com sua voz típica, o que levanta questões se os atores Carlos Villagrán e Florinda Mesa (Dona Florinda) estavam mesmo atuando ou se o sentimento era real.

Depois disso, aparece a imagem do corpo do Chaves.

É nessa cena, mais do que qualquer outra, que são levantadas muitas questões como por exemplo o corpo de Chavez que está mais alto que o ator Roberto Gomes Bolaños. O terno de Chaves é muito pequeno, e pode-se ver também que ele é muito gordo e a cor da pele dele é muito escura. As duas pernas dele estão quebradas e sangrando. O Boné que cobre o rosto dele está coberto de sangue, e os braços dele estão emagrecidos comparados ao resto do corpo. O tronco dele parece estar excepcionalmente limpo, comparado aos membros que estão sujos e ensangüentados. Essa cena dura 5 minutos, até que começa a música final característica da série."

Houve um período de 4 meses entre o tempo que esse episódio foi filmado até quando Chesperito (apelido de Bolaños) juntou seu time, e há muitas controvérsias sobre quem teria "interpretado" o corpo de Chaves. Ficou claro que que não foi um bobo qualquer, e também não foi um figurante que teria aparecido mais alguma vez na série em outros episódios seguintes. Além disso, a algum tempo atrás, Bolaños disse que ele quis fazer algo que ninguém nunca teria visto antes na televisão.

Curiosidade:
Bolanõs queria que no ultimo episódio de Chaves, o Chaves se sacrificasse pra salvar uma criança de ser atropelada, mas ele decidiu não fazer isso por que a filha dele disse que isso poderia fazer outras crianças quererem imitar o personagem...

Eu lembro muito bem do episódio em que Chaves finge ter sido atropelado. Seria aquele realmente o episódio verdadeiro, ou ele foi modificado? 

Dead Bart



Você já sabe que a Fox tem uma estranha maneira de exibir os episódios dos Simpsons. Eles se recusam a fazer continuações das histórias, criando um amontoado de capítulos inconsistentes e sem ligação. A razão para isso na verdade é um episódio perdido da 1ª Temporada.

Encontrar detalhes desse episódio perdido é muito difícil, ninguém que trabalha no show gosta de falar do assunto. Ele foi escrito inteiramente por Matt Groening. Durante a produção da primeira temporada, Matt começou a agir estranhamente. Ele estava muito inquieto, parecia nervoso e mórbido. Dizem que se você mencionar algo sobre o episódio, a equipe fica furiosa e manda você NUNCA contar ao Matt. Eu ouvi sobre isso pela primeira vez, em um evento onde David Silverman estava palestrando. Alguém na platéia perguntou sobre o assunto e Silverman simplesmente deixou o auditório, finalizando a apresentação horas mais cedo. O número de produção do episódio era 7G06, e o título foi "Dead Bart". O episódio numerado 7G06, Moaning Lisa, foi feito posteriormente e encarregou-se de cobrir a existência do anterior.

Além de ficarem irritados, se você perguntar sobre o episódio a qualquer um que trabalha no show, ele farão qualquer coisa para impedir que você fale diretamente com Matt Groening. Em uma convenção, eu planejei seguí-lo depois que ele falasse com a platéia, para ter uma chance de conversar sozinho assim que ele deixasse o prédio. Ele não se assustou quando notou que eu estava seguindo, provavelmente esperava um típico encontro com um fã obsessivo. Quem perguntei sobre o episódio, toda a cor de seu rosto desapareceu e ele começou a tremer. Quando perguntei se poderia dar detalhes do episódio, cambaleou e parecia que estava prestes a chorar. Ele pegou um bloco de notas, anotou alguma coisa em um pedaço de papel e me deu. Implorou para que eu NUNCA mais falasse sobre episódio. O pedaço de papel tinha um endereço de website; eu não direi qual era, por razões que você verá em poucos segundos. Eu entrei com o site no meu navegador e vi que estava completamente preto, a não ser por uma linha amarela com um texto (era um link para download). Eu cliquei e o arquivo começou a ser baixado. Quando finalmente acabou, meu computador ficou maluco. Provavelmente o pior vírus que já vi na vida. A Restauração de Sistema não funcionou, tive que fazer uma total reinstalação. Antes de fazer isso, eu consegui gravar o arquivo em um CD e tentei abrir em um computador vazio. Como eu suspeitava: havia um episódio dos Simsons nele.

O episódio começava como qualquer outro, só que com uma péssima qualidade de imagem. A primeira parte era relativamente normal, mas a maneira como os personagens atuavam era um pouco "desfocada". Homer parecia mais furioso, Marge mais depressiva, Lisa mais ansiosa e Bart parecia ter um genuíno ódio pelos pais. O episódio era sobre os Simpsons indo a uma viagem de avião. No final da primeira parte, você via o avião decolando, Bart estava bagunçando tudo, como era de se esperar. No entanto, quando o avião estava por volta de 50 pés acima do chão, Bart quebra uma das janelas e é sugado para fora.

No começo da série, Matt tinha uma idéia mais realista de animação dos Simpsons. Esse estilo foi usado neste episódio e a morte foi extremamente bizarra. A figura do corpo do Bart estava irreconhecível. Eles aproveitaram a chance de não estar em movimento e fizeram um corpo hiper-realista.
A primeira parte terminava com um "close" no corpo de Bart. A segunda parte começava com Homer, Marge e Lisa sentados em sua mesa, chorando. O choro não acabava e parecia mais doloroso. Melhor atuação que você jamais imaginaria ser possível em um desenho. A animação começou a decair quanto mais eles choravam e você poderia ouvir um murmúrio em segundo plano. Eles pareciam sombras deformadas com cores aleatórias. Havia rostos olhando pela janela, mas estavam indo e vindo, você nunca teria certeza de quem eles pareciam ser. Essa foi toda a segunda parte.

A terceira parte abriu com uma mensagem dizendo que um ano havia passado. Homer, Marge e Lisa estavam esqueleticamente magros e ainda sentados na mesa. Não havia sinal dos bichos de estimação ou da Maggie. Eles decidiram visitar a tumba do Bart. Springfield estava completamente deserta e quanto mais eles se aproximavam do cemitério, mais as casas pareciam decrépitas. Elas estavam todas abandonadas. Quando eles chegaram à cova de Bart, seu corpo jazia fora do caixão. Estava exatamente como no fim da primeira parte.




A família começou a chorar novamente e, eventualmente, pararam e apenas observaram o corpo de Bart. A câmera deu um zoom no rosto de Homer. De acordo com algumas fontes, nessa parte Homer faz uma piada, mas não estava audível na versão que eu via.

O zoom terminava assim que o episódio chegava ao fim. Os túmulos ao fundo mostravam os nomes de TODOS as estrelas coadjuvantes que participaram dos Simpsons. Alguns não se ouve falar desde 1989 e outros não haviam sido mencionados ainda. Todos tinham a data de morte. Para os convidados que ainda não estavam mortos, como Michael Jackson e George Harrison, lá estavam escrito a data perfeita de suas mortes. Os créditos estavam em completo silêncio e pareciam escritos a mão. A imagem final era da família Simpson sentada em seu sofá, mas com um desenho super realista, sem vida como o corpo de Bart.


Há algo bizarro naqueles que ainda não haviam morrido até a produção do capítulo: todas as mortes ocorreram nas datas listadas.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Um Maluco no Pedaço - O Episódio Perdido


Alguém aqui já ouviu falar do episódio perdido de "Um Maluco no Pedaço"? Eu costumava ser amigo do filho do criador Andy Borowitz, sempre ia para a casa deles pelo menos uma vez na semana. Eu era jovem na época e, na verdade, não sabia muito sobre "Um Maluco no Pedaço"; estava muito ocupado assistindo cartoons e colecionando figurinhas, de qualquer forma, provavelmente eu não iria entender o programa. Com o passar do tempo, eu e meu amigo crescemos separados. Saíamos juntos uma vez no mês (no máximo) e mal nos falávamos.

Eu comecei a assistir as reprises no Nick at Nite, o show era espetacular e eu não podia acreditar que estava tão perto do filho do criador todo esse tempo. Eu não perdia uma noite, até que, em um episódio, notei que as mães eram atrizes diferentes. Era confuso: qual o motivo da troca tão brusca? Eles pensaram mesmo que o público não iria notar?


Na faculdade, tivemos que fazer um projeto enorme, que requeria trabalho em grupo. O filho de Andy Borowitz estava na minha classe. Nós fizemos o grupo e combinamos de nos encontrar na casa dele às 6 da tarde para a pesquisa. Antes de ir para a casa dele, liguei meu DVR. Tinha alguns episódios passando e eu decidi assistir um antes de ir para a casa dele. Era um dos mais novos, onde eles tinham a nova mãe. Conforme ia assistindo, resolvi que talvez eu poderia perguntar ao próprio Andy o porquê da troca.

Eu cheguei na casa dele e começamos o trabalho, mas após algumas horas de pesquisas frustrantes, tiramos um intervalo. Eu estava indo ao banheiro e notei o pai dele na cozinho, percebi que essa poderia a melhor chance de perguntá-lo:

"Hey, Senhor Borowitz, como vai você?"

"Oh, estou bem. Como vai o projeto?"

"Complicado... estamos todos descansando agora."

Houve um silêncio constrangedor e eu finalmente disse o que queria saber há tanto tempo:

"Hey, eu estava assistindo 'Um Maluco no Pedaço' ultimamente... O que há com essa segunda mãe nas novas temporadas?"

"Bem, o contrato da atriz original expirou e ela não quis mais o papel, então tivemos que encontrar alguém para substituí-la."

"Eu só acho que isso pode ser confuso para alguns espectadores. Por que não houve um divórcio, ela fez uma viagem, ou mesmo tê-la matado?"

Ele ficou congelado, como se tivesse visto um fantasma.

"O que você sabe?" Ele perguntou.

"Hã?"

"O que você sabe, seu desgraçado filho da mãe?"

Eu olhei perdidamente para ele. Tentei me mover, mas aquilo tudo era muito assustador.

"Eu... eu... eu não sei porque você está me perguntando isso, senhor."

"Diga logo cacete, quem te contou isso?"

Nesse momento eu estava REALMENTE assustado. Quase procurando algo para usar como arma, só no caso.

"Honestamente, eu não sei do que você está falando!"

Ele me encarou nos olhos por 2 minutos; eu não pisquei.

"Venha ao meu escritório."

Ele saiu e meu coração estava disparado; eu estava coberto de suor e me sentia um balde de fezes. Eu corri ao banheiro e joguei um pouco de água no meu rosto tentando me recompor, mas eu estava muito assustado. Lentamente andei até seu escritório, podia ouvir alguns papeis sendo remexidos e alguns bilhetes em uma caixa. "Sente-se", ele disse. Eu não queria chateá-lo, então fiz exatamente o que ele disse.

Estava vasculhando uma velha caixa marrom, não estava etiquetada. Finalmente ele encontrou o que estava procurando: uma fita. A fita possuía uma etiqueta com alguma coisa escrita com marcador permanente, mas eu não consegui ler.

Ele a jogou na mesa e sentou, massageando a nuca... então ele olhou diretamente para mim.

"Em 93, quando Janet disse que não gostaria de continuar com o programa, nós começamos a pensar maneiras de dar continuidade à história. Havia 3 idéias: fazer ela ter uma viagem (para Nova Jersey), onde teria um trabalho como professora, deixando a família em Bel Air para trás. A segunda, era simplesmente achar uma substituta como era feito nos outros shows. A terceira idéia..."

Ele parou, estava me encarando como se estivesse prestes a vomitar. Seu rosto ficou pálido e seus olhos pareciam profundamente tristes; ele quase começou a chorar.

"Me desculpe [limpando os olhos]. A terceira idéia era acabar com o programa e matá-la de uma vez por todas. Filmamos tudo e decidimos colocar as 3 idéias para votação."

"As primeiras duas, foram escritas e filmadas sem problemas. No entanto, filmar a terceira foi o mais difícil. A maioria do elenco não queria fazer parte disso. Os que decidiram ficar, nunca mais se recuperaram do que viram. A atmosfera nas filmagens estava tensa e ninguem sorria. Normalmente, entre os takes, os atores conversavam entre eles, mas durante esta filmagem, eles permaneceram sentados ou com os braços cruzados até o tempo acabar e as filmagens recomeçarem."

Agora, sua voz estava rachando e seus lábios não paravam de tremer. Ele me deu a fita e disse para sair dali e nunca mais voltar, ou ele iria chamar os policiais.

Eu rapidamente peguei a fita, minhas coisas, e fui para casa.

Quando eu cheguei, já eram quase 11 da noite. Minha família estava dormindo, eles deixaram um pouco de comida no microondas para mim. Eu não queria comer, na verdade, apenas assistir a fita.

Eu fui para meu quarto e coloquei a fita no meu DVD/VCR player que ganhei de natal, pausei, fechei a porta. Quando voltei, me joguei na cama e apertei "play" com o controle remoto. Nos primeiros 5 minutos era apenas uma tela negra. Finalmente, a câmera focaliza e você a sala de estar da mansão. O Tio Phil estava sentado, assistindo TV e Carlton estava descendo das escadas. Os dois começaram a falar sobre os planos para a universidade de Carlton, mas você mal poderia ouvir o que eles estavam dizendo. O volume aumentava e diminuía naquela gravação, e não era algo divertido como é normalmente a série; eu tinha certeza que não era algo engraçado por causa das feições mortalmente sérias em seus rostos. 

Depois de algum tempo, a família inteira estava na sala de estar, exceto pela mãe. O telefone toca e o Tio Phil atende. Imediatamente ele começa a soluçar. Nesse ponto você finalmente poderia ouvir sobre o que eles estavam falando. Tio Phil foi ao chão, chorando incontrolavelmente e gritando em uma dor agonizante. Os outros sentaram e seus rostos inexpressivos. Os gritos continuaram por alguns minutos até que Carlton pega o telefone e começa a falar com a pessoa na outra linha. Ele diz apenas "yeah" e "adeus". Carlton saiu da cena e você poderia ouvir alguma coisa em latim seguido de um disparo de uma arma. Tio Phil ainda soluçava e gritava, mas o elenco olhava para o local onde Carlton havia saído. Vivian entrou em cena com uma espingarda na mão, também chorando e murmurando alguma coisa em latim. O elenco inteiro se dispersou e correu, menos o Tio Phil, que agora parecia ter convulsões. Vivian apontou a arma para a cabeça dele e atirou. Ela então caçou Carlton acima das escadas e atirou nas suas costas. Ele gritou de dor, mas não estava morto. Hillary conseguiu fugir junto com Will, e correram para perto da casa dos vizinhos.

Eles bateram na porta, mas não houve resposta. Continuaram batendo e tocando a campainha com o mesmo resultado. Checaram a maçaneta e abriram a porta, entrando e olhando ao redor; a casa não tinha energia ou luz. Eles imediatamente ficaram apavorados e procuraram um telefone. A cena corta para outra um pouco embaçada, onde Vivian amarra Ashley. Ela está chorando, mas é abafada por uma mordaça. Vivian então arrasta Carlton e começa a cantar uma música velha. Ela estava com um estranho, bizarro sorriso e as lágrimas caindo de seu rosto. Carlton começou a fazer uma oração, mas Vivian rapidamente apontou a arma e o mandou parar. Ela virou para Ashley e puxou uma faca, lentamente andou ao redor, cantando...

"Ashley, querida!"
"Uma garota tão boazinha!"
"Uma garota tão bonitinha!"
"Minha garota favorita!"

Ela levantou a faca e desceu com tudo para o pescoço de Ashley, mas antes que a faca a atingisse, a cena ficou preta. Isso foi seguido por uns 10 minutos de aplausos, que viraram murmúrios e depois gritos. Os gritos ficaram mais altos e então a cena voltou para Will e Hillary encontrando corpos mortos no sofá; as paredes e o chão cobertos em sangue, mas sem sinal de Vivian. Hillary diz para Will que eles têm que sair, mas ele diz "Não, eu quero ficar". Hillary começa a gritar com Will tentando convencê-lo, mas eventualmente desiste e corre para fora da casa. Não havia explicação do porquê de terem voltado para casa, tudo que você via era Hillary correndo desesperadamente. Novamente a cena fica preta por quase 1 minuto.

O show termina e os créditos aparecem. No fundo, uma foto de todos sentados no sofá: Tio Phil com a cabeça estourada, Carlton com uma enorme ferida no estômago e os órgãos à mostra, Ashley com a pele arrancada e Will com os membros despedaçados. Vivian estava no meio, sorrindo sentada coberta em sangue. Depois que os créditos acabaram, a foto ficou lá por bons 13 segundos.

Eu pulei da cama e apertei "ejetar". O VHS retornou, mas a fita ficou atolada dentro. Cortei e limpei a bagunça, comecei a examinar a fita e percebi que ainda havia muito filme do lado esquerdo. Com uma enorme dor no coração, joguei tudo no lixo.

Naquela noite, a figura do fim dos créditos assombraram meus sonhos, em vez de ver a família Banks sentada no sofá... era a minha própria, comigo no meio, sorrindo...

Bonecos de Bebês

Na área rural do sul, Illinois, uma empresa de brinquedos, começou a vender bebês de brinquedo "extremamente realistas" para as futuras mamães. Mas, aparentemente, depois que a mulher tinha seu filho, o bebê de brinquedo começava a chorar.

No final das contas, o "movimento de balanço", antes anunciado para acalmá-lo, não adiantaria; para ele parar, você não poderia parar de balançá-lo. Com o passar do tempo, quando ele começava a chorar, os pais teriam que bater nele, e as surras teriam que ficar mais e mais fortes para que ele ficasse quieto. A única coisa que parecia silenciá-lo permanentemente era arremessar sua cabeça contra a parede, destruindo qualquer mecanismo.

Porém, em várias ocasiões, os vizinhos chamavam a polícia para relatar o abuso de crianças. Quando os policiais chegavam, encontravam o sangue escorrendo continuamente na parede e chão.

Na maioria dos casos, a mãe não conseguia entender porque a polícia estava lá. Ela simplesmente havia se livrado da "boneca estúpida", a maioria enquanto falavam isso balançavam um boneco em formato de bebê nos braços.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Barbie.avi



Essa é uma creepypasta famosa e também uma das mais antigas. Leia com atenção.


-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Olá. Essa coisa que me aconteceu há alguns meses atrás, eu só preciso compartilhar com alguém.

Tudo começou na festa do meu amigo. Ele é um artista que alugou um loft na parte industrial da cidade. Se você pode imaginar o que um lugar como Detroit parecia no Século 1920, você pode imaginar como era aquela área. Um bando de velhas fábricas turn-of-the-century amontoados em dez blocos. A maioria delas é abandonada. Então, eu bebi um pouco demais naquela noite e decidi apagar em um sofá no loft. Eu acordei por volta das 4 horas da manhã, o sol ainda não havia saído, mas você ainda pode fazer as coisas na penumbra azul. Eu fui ao banheiro cuidadosamente na ponta dos pés, em torno das pessoas que estavam desmaiadas no chão. Eu estava dando uma mijada eu na ponta dos pés para olhar pela janela do banheiro e vi o panorama do deserto decadente urbano. Eu me lembrei o quanto eu gostava de lugares como este, estava tão escuro e sem vida, e estranhamente sereno. Então voltei para o sofá e tentei adormecer.


Depois de 45 minutos olhando para o teto eu decidi que não quero estar lá por mais tempo, eu engoli meu orgulho e decidiu acordar minha namorada para implorar-lhe para que viesse me buscar no carro dela, uma vez que andar pelas ruas vazias naquele momento não era uma opção muito boa.

Como ela é uma Namorada incrível, ela foi muito legal comigo, e me disse que estaria lá em cerca de meia hora e que ela me daria uma chamada quando ela estivesse no térreo, para eu descer. Meu telefone morreu dez minutos depois que eu decidi que iria sentar perto da janela e esperar por seu carro. Eu sentei lá por um tempo e meus olhos começaram a ficar pesados e comecei a cochilar.


Um ruído exterior batendo me acordou. Não era alto, mas apenas o suficiente pra me acordar, Olhei pela janela e dei uma olhada pela área, mas eu não vi ninguém. Do outro lado da rua havia um sótão perto de uma montanha de sacos de lixo e perto de uma dessas lixeiras enormes eu vejo um computador e um monitor esmagado contra o chão que não estavam ali antes. 


Quando a minha namorada chegou, eu desci e cumprimentei-a e quando eu estava prestes a entrar no carro me lembrei que um amigo meu tinha queimado seu computador, o que me convenceu a caminhar até o lixo e ver o que eu poderia salvar daquele jogado ali. O monitor era inútil, mas o gabinete parece ter sofrido quase nenhum dano. Coloquei-o no porta-malas e partimos.


Uma semana tinha passado e eu tinha esquecido completamente o gabinete até que um dia minha namorada me chama e pergunta se eu ainda  quero aquilo que estava no porta-malas. Naquela noite, eu trouxe o gabinete para casa e, antes de levar, decidi ligá-lo ao meu monitor para ver se ele ainda funcionava mesmo, e para minha surpresa ele funcionou.


Abriu um Windows XP SO e parecia que tinha sido limpo. Acho que por curiosidade mórbida, realmente, eu decidi fazer buscas por palavras como "porn" "tits" "pussy" (Sou um tarado).

Na busca não surgiu nada. Pesquisados para arquivos de imagem, nada.


Então eu procurei por filmes e um arquivo apareceu. Era um avi. Dentro de uma pasta chamada "Barbie" oculto no diretório WINDOWS/System32. Então eu o abri...

Agora, esta é a parte onde tudo ficou muito perturbador.


O filme tinha mais ou menos uma hora de duração de algo como um arquivo de filme cru. A filmagem era de uma mulher sentada em uma cadeira conversando. Decidi assistir o vídeo pra ver do que se tratava, mas o que ela estava falando era inaudível e depois de 15 segundos de vídeo o áudio começa a ficar somente em estática. Estou intrigado agora... eu estou realmente começando a prestar atenção ao seu rosto e linguagem corporal. Parece que ela está sendo colocada para responder algumas questões, porque às vezes ela pára para ouvir, e depois continua falando. Depois de certo tempo de filmagem, o rosto começa a ficar vermelho e contorcer, como se as perguntas estivessem incomodando ... Mas ela continua a respondê-las de qualquer maneira. Pouco depois ela começa a chorar. Ela soluça histericamente para a duração do filme. Uma das poucas palavras que eu podia entender por leitura labial foi “skin” (pele). Ela repete a palavra várias vezes durante as filmagens e em um ponto ela ainda puxa a pele do seu braço e bocas. Ela parece estar infeliz com sua pele.


Há muito mais que eu tenho que tirar da minha cabeça, mas já está ficando tarde e eu não posso ir em frente. Vou compartilhar o resto amanhã. Deus salve a minha alma.


O Filme continuou e depois de cerca de 40 minutos em que ela estava chorando tanto que mal conseguia olhar para a câmera ela pára de falar.

Neste momento e no resto do filme é apenas o seu choro com a cabeça para baixo. Curiosamente, ela não se levanta ou se move... então a tela fica preta.

Eu estava atordoado pra caralho. Pensei na coisa toda por várias vezes naquela noite, tentando encontrar inflexões e nuances no seu movimento que revelassem alguma coisa sobre o que estava acontecendo.

Eu me sentia tão angustiado, tinha que saber mais. Foi quando eu percebi que havia cerca de 10 minutos mais à esquerda na linha do tempo após a tela ficou preta, e cerca de 2 minutos em que havia mais imagens. A filmagem foi extremamente frágil, quase impossível de ver, e mostrava um par de pernas andando de trem. meu palpite é que a câmera foi deixada acidentalmente em que estava sendo realizada a filmagem em algum lugar.

A pessoa neste filme caminha na estação de trem depois entra na floresta e vai até o que parecia folhagem achatada por um pedaço de madeira.

A pessoa continua por esta estrada de madeira improvisada até que o clipe de filme termina. Agora o meu coração começou a bater com a excitação, Porque a poucas milhas daqui,havia uma estrada , que parecia muito semelhante ao do vídeo. Eu tinha que verificar isso.

Liguei para meu amigo Esdras, e convenci-o a ir em uma pequena aventura comigo. Eu não sou burro, mas eu senti que se estava a ir vagando pela floresta à procura de algo desconhecido, músculos extras não poderiam machucar. Toda essa idéia de investigar este vídeo tinha me deixado tão concentrado que eu não consegui dormir.

Na manhã seguinte, em um sábado ensolarado, eu levei a minha lanterna, a minha câmera e uma faca ka-bar de sete polegadas com acabamento em preto fosco e borda serrilhada e fui pegar Esdras. Quando cheguei à casa dele, ele não estava acordado. Quando eu consegui acorda-lo, ele praticamente me expulsou da casa dele. Eu estava sozinho nessa, mas já estava puto e eu tinha me preparado mentalmente para fazer isso. Assim eu decidi ir até o fim sem ele.

Eu estacionei meu carro na estação de trem, levei as minhas coisas, e pulei para as pistas. Depois de caminhar por cerca de duas horas, eu vi um pedaço de madeira quebrado e meus joelhos quase dobraram com entusiasmo. Eu procurei a folhagem nas proximidades, e lá estava ela, uma pista de madeira levando para dentro da floresta. Caminhei lentamente ao longo da trilha, prestando atenção a tudo.

Fiquei cansado, e quis parar de vez em quando, sentei-me e não ouvi nada, nem ninguém ... Foi muito mais tranqüilo. Este foi uma das coisas mais angustiantes que eu já fiz. Eu não sabia o que esperar ao final desta trilha.

A linha de árvores densas deu lugar a uma pequena ilha de campo gramado, e então eu vi. Era uma casa que parecia estar sendo consumida pela floresta. Eu peguei a minha câmera e tirei algumas fotos. A poucos metros da casa tinha um barracão feito de chapa de metal enferrujado. Fiquei lá entre as árvores por um tempo, absorvendo tudo. Eu não queria ir para o campo aberto, eu tinha essa sensação de que algo ruim poderia me ver. Levei um tempo para ganhar coragem para subir à casa. a porta estava entreaberta, empurrei-a com a lanterna e fiquei aliviado em saber que o interior estava bem iluminado.

Eu coloquei minha lanterna um pouco mais longe, retirei minha câmera e tirei algumas fotos. Não havia móveis, o chão estava repleto de tijolos e madeira e entulho, e algumas das paredes tinham enormes buracos nelas. Quando entrei para explorar, eu vi algumas coisas que eu não prestei muita atenção naquele momento, mas agora que eu penso sobre elas, em retrospectiva, estão me incomodando.
A primeira coisa que parecia um pouco estranha, era que uma das portas no primeiro quarto, que eu presumi que levava para o porão, parecia um pouco nova demais para estar nesta casa, e que era também a única porta da casa que estava trancada. Além disso, quando eu fiz meu caminho até o segundo andar, eu vi algumas cadeiras e uma mesa fold-up, que também pareciam um pouco novas demais para estar lá.

Mas o que me perturbou mais, por algum motivo, foi o banheiro. A poeira sobre o espelho tinha sido apagado, e na banheira, eu vi uma lona de plástico transparente que ainda tinha gotas de água sobre ela, que eu presumo, foi porque tinha sido lavado a pouco tempo. Foi quando eu ouvi algo gemer muito alto o que me fez saltar e correr de volta para a estrada. No meio do caminho percebi que os gemidos eram provavelmente de uma tubulação de água, e nesse momento me deu pouco de alívio, apenas para agora pensar com horror por que a água estaria funcionando em uma casa abandonada no meio do mato. Aquilo foi a um pouco mais de dois meses e desde que isso aconteceu eu não tenho ido lá, e nem pretendo. Por algum motivo sei que algo terrível aconteceu lá, e Deus sabe que eu não quero mais saber qual foi o destino daquela mulher.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Em 09/08/2009 o usuário “xenopasta” começou a postar no Youtube uma série de vídeos com o título de “Barbie.avi”. Não se tem certeza se esses vídeos são os originais, mas todos carregam alguns detalhes bizarros.


O momento mais importante desse vídeo começa em 2:06

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

The Sims - Versão Canibal


Eu passei algum tempo sem querer divulgar essa história pra ninguém... mas vou contar o que aconteceu comigo no dia 29 de junho de 2009.

Eu ganhei uma cópia do jogo The Sims 3, e estava muito animado. Eu era um fã da EA games, e amava todos os jogos anteriores da série The Sims.

Meus pais e eu compramos o jogo de uma loja de penhores chamada "The Daily Gamer". Lá vendia jogos antigos, jogos recentes, equipamentos, qualquer coisa nessa área. A loja onde eu sempre compro meus jogos infelizmente estava fechada, então compramos o jogo nessa loja de penhores mesmo. A cópia era usada, por isso teve um grande desconto. Compramos o CD, voltamos para casa e eu corri para meu quarto.

Estava extremamente animado, mas então notei que o disco estava muito riscado. Felizmente, me lembrei que tinha o meu limpador de discos guardado lá, então, limpei-o. Enquanto colocava o CD em meu computador, notei algo estranho no logotipo do mesmo. Ninguém do grupo de pessoas estava sorrindo; todos olhavam diretamente para mim sem emoção. Ignorando isto, coloquei o jogo no computador, ele abriu e eu estava pronto para jogá-lo.

Eu assisti a intro. Nada podia ser ouvido, exceto a música super alegre. Depois que ela terminou, comecei a fazer meu perfil. Fiz somente uma pessoa, e eu fiz meu personagem exatamente como eu queria, mas o estranho era que ele não se mexia de forma alguma.

Ele não estava fazendo seus sons como de costume e ele tinha uma expressão muito séria. Fiz com que meu avatar fosse um jovem e dei a ele 5 características principais. Porem notei algo muito estranho, algo que não parecia apropriado para um jogo do The Sims: Uma característica chamada “Canibal”. Mas mesmo assim, eu só escolhi coisas que me agradavam, e então terminei meu avatar. O jogo então me deu a opção de fazer uma casa ou comprar uma casa; comprei uma casa, e comprei toda a mobília.

Meu avatar não ficava feliz, ele só ficava triste ou com raiva; achei que isto estava ficando muito esquisito. Com isso, decidi fazer alguma coisa para meu avatar comer, mas as únicas opções eram os alimentos carnívoros, como a opção "Fazer Língua de Porco" por exemplo. Eu não pensei em mais nada. Então, consegui um emprego depois de se acostumar com minha nova casa, e apareceram as opções "Açougueiro", "Teatro" e "Crime". Açougueiro? Que tipo de jogo era esse? Ele não me deixava escolher as opções “Teatro” e “Crime”, e ele não me deixava mais sair daquela parte. Então, eu simplesmente cliquei em "Açougueiro" e decidi prosseguir com o jogo.

Mas no momento em que isso aconteceu, de repente, um som de um carro batendo veio abruptamente de fora, e era extremamente alto; ele fez com que meus ouvidos apitassem, e eu literalmente quase tive um ataque cardíaco de susto. Acelerei o tempo do jogo, e descobri que o barulho vinha da empresa de meu avatar. Fui correndo pra lá, e ouvi um monte de gritos e gemidos. Para minha surpresa, minha empresa era uma fábrica completamente preta e extremamente grande, e o uniforme de meu personagem ficou manchado de sangue de repente (o que era estranho, já que ele nunca havia mudado de roupa sozinho antes). Tentei trocá-las para uma roupa diferente, mas não ajudou em nada. Então tentei comprar uma outra roupa, mas o jogo só me deixava comprar ganchos de açougue. Eu comprei um, só por curiosidade, e a única opção que aparecia era "Pendurar Corpos".

Eu estava muito perturbado com tudo aquilo. Outro problema que aconteceu, é que eu tentei mudar os materiais das coisas, mas o único material disponível era uma “Poça de Sangue”, nenhuma barra de cor, nada. Tentei fazer amizade com as pessoas, mas tudo que eu podia dizer/fazer era "Convidar para Casa". Eu o fiz por pura curiosidade, e depois que a garota chegou em minha casa, uma cena muito gráfica começou a passar... Nela, meu personagem batia com força na cabeça da garota com uma grande marreta, e arrastava-a para minha cozinha.

Meu personagem, em seguida, pendurou-a no Gancho de Carne, rindo, mas não rindo na maneira que os Sims fazem... Ele tinha um sorriso malicioso no rosto, e estava me deixando muito perturado. Eu cliquei no cadáver da garota, e a única opção era “Tirar a roupa”, então eu fiz novamente por curiosidade, apesar de estar prestes a passar mal com a situação. Em seguida, o jogo disse que eu tinha que “devorá-la”. Esta opção não era muito melhor do que a anterior, e ele não me deixava sair desta parta, e assim, acabei clicando nela e me perguntei o que diabos aconteceria em seguida. O jogo começou a travar. Gráficos apareceram nos lugares errados, um zumbido estranho começou a sair de meus alto-falantes e a me assustar pra caralho, mais do que eu já estava. O jogo começou lentamente a ficar coberto de pixels (como aqueles que aparecem quando seu avatar fica nú) e um verso de piano alto distorcido começou a tocar ao contrario. Então, o jogo congelou e finalmente se fechou.

Palavras não podem descrever o medo que eu estava sentindo naquele momento... Eu estava completamente chocado! Que merda havia acontecido? Depois de todo esse pesadelo, tirei meu disco e joguei-o na minha lareira sem mais nem menos.

Nunca irei esquecer aquele jogo terrível, nunca mais vou jogar The Sims.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Hollow Sorrow


Essa é uma Creepy meio underground. Tentei juntar a maior quantidade de informações disponíveis.

Ao que parece essa estranha imagem começou a circular pela web em 2007 em alguns fóruns americanos.

Em teoria ela não tem nome, mas algumas pessoas simplesmente postavam a imagem com o título “Hollow Sorrow” (Tristeza oca, vazia).

Alguns postavam a imagem com um pequeno texto.

“Não é nada demais, não custa nada tentar.

Coloque essa imagem como o papel de parede do seu PC”

A primeira vista realmente parece um desafio bobo. A imagem não é um GIF, uma animação ou coisa assim.

Mas algumas pessoas responderam ao post de forma estranha.

Estou colocando aqui o que seriam algumas dessas respostas (Tradução Livre)

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vini333 Vini333
Assunto: Hollow Sorrow - Wallpaper
Ah. 
Muito engraçado, até parece que dá pra salvar a imagem. Idiota, o arquivo está corrompido, não aparece nada, só borrões

GreedAnol GreedAnol
Assunto: Hollow Sorrow - Wallpaper
Vini333 tem algum problemas com você aí, eu consegui salvar a imagem normalmente. Infelizmente eu sou fraco para essas coisas e retirei a imagem do meu computador poucos segundos depois. Não consegui ficar encarando aquilo no escuro

Erin2000 Erin2000
Assunto: Hollow Sorrow - Wallpaper
Que baboseira, não acredito que vocês podem cair em um negócio desses. A imagem foi posta com photoshop no meio do escuro. Seus virgens medrosos do $@##$#

Vini333 Vini333
Assunto: Hollow Sorrow - Wallpaper
Ainda não consigo visualizar nada, aff, sou o único com esse problema?

AdrianWade AdrianWade
Assunto: Hollow Sorrow - Wallpaper
Bizarro isso aqui. Coloquei como wallpaper e sinto como se estivesse olhando pra mim. É um tipo de pressão psicológica que criaram com essa criaturinha no escuro. É tudo truque da mente.

Nic_23 Nic_23
Assunto: Hollow Sorrow - Wallpaper
Não salvem isso nos seus PCs! Sério, tem algo estranho nessa imagem! Eu estou muito perturbado aqui, quem criou isso é doente!

EdwinGart EdwinGart
Assunto: Hollow Sorrow - Wallpaper
É uma imagem bem estranha, mas não é o pior que já vi na net. Estou com ela como Wallpaper há uns três dias e nada aconteceu

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Algumas pessoas afirmam que a imagem não possuía nada em especial.

O problema são aquelas que acreditam que existe algo em especial.

Algumas pessoas veêm a sala escura, mas não veêm a criatura.

Outras conseguem ver a criatura se mexer, até piscar para a tela.

Outras ficam tão perturbadas com a imagem que começam a ver a criatura em suas próprias salas em meio ao escuro, ou nos reflexos escuros da televisão ou das janelas.

A imagem voltou a circular a pouco tempo atrás, tendo uma moldura de MindFuck e com a seguinte mensagem “Creepy Shit – It’s really creepy”  

Estou postando a imagem abaixo. Infelizmente não aconselho a usar a imagem como Wallpaper.

A qualidade dessa imagem é bem inferior a suposta original.





Rugrats - A teoria da imaginação de Angélica


Existe a algum tempo na web uma teoria de que o desenho animado Rugrats teria uma mensagem subliminar terrível.

Segundo a teoria os bebês Rugrats não existem, eles são produtos da imaginação de Angélica (a loirinha mais velha) porque a mãe dela a ignora e o relacionamento dela com o pai é superficial e parasita. Por isso as histórias tendem a girar em torno da vontade dela, e por isso os bebês andam por aí normalmente e são ignorados. Na verdade, Chuckie (o ruivinho de óculos roxo) morreu junto com a mãe e por isso seu pai, Chaz é tão nervoso. Tommy (o bebê de fralda e blusa azul) era um natimorto (feto que morreu dentro do útero), o que levou seu pai, Stu a sentar no porão para fazer e inventar brinquedos para o filho que nunca teve a chance de viver. Os gêmeos DeVille (que na verdade eram uma criança só) foram abortados, e como Angélica não sabia se a criança não-nascida seria um menino ou uma menina, então ela simplesmente inventou o mesmo personagem em sua cabeça duas vezes, com diferentes sexos. Por isso o nome do desenho no Brasil é “Os Anjinhos”, pois crianças mortas “viram anjos”.

The Wanderer

Na década de 1990, uma menina se suicidou depois de ver uma imagem postada em um velho fórum de discussão.

A imagem era de uma figura - que alguns identificavam como uma mulher - que está no meio de uma estrada solitária. A figura é transparente a ponto de suas pernas serem pouco visíveis, e é iluminada por uma fonte de luz desconhecida vindo da direção da câmera. Quer se trate de faróis, uma lanterna de mão, ou a luz da câmera em si não se sabe ao certo, assim como a fonte real da imagem nunca foi identificada. As características faciais podem ser vistas, mas a figura é mais facilmente identificada pelo seu desgaste, e pelos seus membros ósseos, que em parte se assemelham a patas de aranha. Aqueles que viram a imagem ou sabem de sua existência têm vindo a conhecer a figura como "The Wanderer" (Vagante, ou aquele(a) que vaga).

O primeiro caso conhecido da Wanderer, a que eu me referia no primeiro parágrafo, ocorreu em 1996. Jane, uma menina da faculdade que estava visitando sua família durante as férias, tinha interesse no paranormal. Ela viu a imagem do "The Wanderer" em um fórum, juntamente com uma leitura da mensagem, "Você me vê? Eu posso ver você também.
Dezenas de outros usuários viram a mesma coisa. A maioria não pensou muito nisso - só que aquilo estava de alguma forma "engraçado". Alguns realmente se queixaram de dores de cabeça enquanto olhavam para a imagem, e reivindicações similares foram feitas por outros desde então.

Segundo a família de Jane, ela sofreu pesadelos depois de ver a imagem. Ela alegou que iria acordar e ver a Wanderer fora de sua janela. As vezes raspando o vidro com seus membros de aranha, mas normalmente apenas olhando para ela. Ela era incapaz de se mover enquanto a Wanderer marcava presença, como se muitas mãos invisíveis estivessem segurando-a. Mesmo quando ela fechava os olhos, ela ainda podia ver ela.

Sua família tinha certeza que ela estava assustada por causa de uma imagem da internet e estava tendo pesadelos, como resultado, até que Jane se queixou de ver a Wanderer em seu dia-a-dia. Ela estava convencida de que ela estava a seguindo. Ela a via mesmo quando ela estava em uma sala cheia de pessoas ou em um lugar público, mas mesmo assim ninguém via nada. A Família de Jane temia por sua sanidade mental, mas apenas assegurou que a Wanderer não era real.

Jane, no entanto, só piorou. Ela começou a ir aos extremos e passava as noites em claro acordada. Começou tomando apenas com cafeína para permanecer ativa, mas rapidamente começou a cortar-se, assim gritando a noite toda. Em pouco tempo, ela não estava dormindo mais. Ela estava convencida de que, se ela dormisse novamente, a Wanderer iria levá-la.

Sua família sabia que não poderia apenas esperar e torcer pelo melhor. Jane precisava de ajuda. Mas certo dia a mãe de Jane bateu na porta do quarto de sua filha, e não recebeu nenhuma resposta. Ela abriu a porta com cuidado, não querendo perturbar ou assustar Jane, mas não ouviu nada.
Jane não estava em sua cama. Ela não estava sentada em seu computador. Ela parecia não estar em seu quarto, até que sua mãe verificou o armário.

Lá, Jane foi encontrada enrolada em um canto. Avermelhada de sangue de seu corpo, depois de ter empurrado a longa cortina garganta abaixo. Ela estava segurando uma nota manchada de sangue que dizia: "Não pode me pegar agora."

O caso de Jane não é isolado. Pelo resto da década de 90, dezenas de outros se suicidaram ou desapareceram depois de ver a imagem da Wanderer. Desde a virada do século - apesar dos meus melhores esforços para localizar a imagem - ela parece ter desaparecido. Recentemente, porém, eu postei em um fórum perguntando se alguém tinha ouvido falar do Wanderer.

Já fiz isso muitas vezes antes e, geralmente, há uma ou duas pessoas que ouviram a história, mas ninguém viu a imagem. Desta vez foi diferente. Pouco depois de postar, recebi um e-mail na minha caixa de entrada.
O assunto do e-mail foi "Eu posso te ver." O corpo só dizia: "Você me vê? Eu posso ver você também."

Havia uma imagem anexada com a mensagem.

Eu não posso verificar se é a imagem Wanderer real ou não, mas devo avisá-lo que, se você optar por ver a imagem, você o faz por sua própria conta e risco.

Não me culpe... Se você encontrar a noite aquele rosto pálido e vazio lhe encarando pela janela.

A foto:


sábado, 7 de janeiro de 2012

Rugrats - Chuckie's Mom



Você se lembra dos Rugrats, aquele desenho infantil da Nickelodeon? Bom, uma coisa que você provavelmente não sabia, é que o criador do show, Gabor Csupo, inicialmente havia planejado uma versão de Rugrats chamado "Rugrascals", para ser reprisado a noite, com humor muito mais adulto.

Contudo, já que todos os canais principais acharam o piloto (Primeiro episódio) do programa muito perturbador, eles se recusaram a transmitir o show, e como resultado, ninguém nem chegou a ouvir falar sobre isso. No entanto, uma estação em Wellington, Nova Zelândia, se enganou e reprisou o desenho no período da manhã, achando que era apenas um episódio normal de Rugrats. Eu fui uma das poucas pessoas que viu esse episódio. O episódio piloto (E único) do programa se chamava “Chuckie’s Mom (A mãe de Chuckie)" O que por si só chamava bastante a atenção, pois a identidade da mãe de Chuck é um dos mistérios da série.




A introdução começou normalmente, porem no final, quando Tommy joga o leite na tela, o efeito sonoro era muito mais alto do que o normal, e o leite simplesmente permaneceu lá por cerca de 10 segundos. Então o nome do episódio apareceu no meio da tela. Tudo começou como um episódio normal, com os bebês brincando e conversando no cercadinho. Eles começaram a falar sobre suas mães, quando de repente, Chuckie teve um flashback.

No flashback, Chuckie estava no hospital ao lado de sua mãe na cama, que estava morrendo de uma doença desconhecida. Ela cantava "Você é meu sol, o meu único raio de sol" para Chuckie com uma voz muito fraca, como se ela estivesse prestes a morrer, mas quando ela cantou a segunda estrofe da canção, ela começou a tocar ao contrário. Uma foto de Chuckie apareceu na tela, em frente de uma filmagem ao vivo de uma galinha sendo decapitada, o que de acordo com algumas pessoas, seria uma metáfora de morte. De repente, Chuckie se vira e grita, e quando olha para sua mãe, o rosto dela tinha um boca real de um homem colado nela, dizendo: "Não se preocupe Chucky, é hora de eu seguir em frente", com uma voz de homem.

Um monte de clipes aleatórios em live action são mostrados, todos representando a morte, como uma vaca andando em uma fila com a palavra "abatedouro" cruelmente desenhado ao lado, imagens do motim de Los Angeles, desenhos e outras imagens reais de um homem sofrendo de AIDS, e em seguida, morrendo. Você pode ouvir Chuckie gritando o tempo todo. Uma foto da mãe de Chuckie aparece novamente, desta vez com um bico de galinha colados em sua boca, dizendo: "Você não se lembra onde tudo começou?" O episódio então corta para cenas reais de ultra-sonografias de um parto. Cerca de 1 minuto depois dessas cenas, você ouve mãe do Chuckie dizer "Você não é um garotinho de sorte, Chuckie?", e então um feto de manequim apareceu.
Neste momento, você vê Chuckie saindo do flashback, tendo uma convulsão.

Tommy, Phil e Lil estavam chorando, e um médico tentava acalmá-lo, dizendo: "Chuckie? Chuckie? Voce pode me ouvir?" com uma voz severa. Eventualmente, depois de tossir e vomitar bastante sangue, Chuckie volta aos seus sentidos. Vemos então o episódio do ponto de vista de Chuckie, vendo Tommy, Phil, Lil e o médico com bicos de galinhas reais em seus rostos, cacarejando. Uma foto de uma criança muito parecido com Chuckie aparece gritando, e a câmera dá um zoom em seu rosto.

Após isso, os créditos normais apareceram, seguidos de 15 minutos de estática, já que o canal não tinha mais nada para passar. Surpreendentemente, embora o episódio tenha sido assistido por muitas crianças, apenas um adulto que estava assistindo (Eu) tem falado sobre isso até agora. Apesar de eu já ter encontrado na internet o relato de algumas pessoas que "Lembram de um episódio onde cada um pensa na mãe, e algo acontece de errado com Chukie".

No dia seguinte fiquei perplexo ao ler no jornal que havia acontecido um surto de suicídios de crianças na Nova Zelândia no dia anterior. Ainda me pergunto se aquilo teve relação com aquele episódio terrível.